sua localização:Casa»Meio ambiente»conteúdo

Captação de carbono dos oceanos está amplamente subestimada, dizem climatologistas

Outra descoberta recente na área foi que os oceanos não têm tanto plástico quanto se temia.

Fluxo líquido de carbono

Os oceanos da Terra absorvem mais carbono do que a maioria dos modelos científicos considera, alerta uma equipe de climatologistas do Reino Unido e da Alemanha.

Estimativas anteriores do movimento de carbono (conhecido como "fluxo") entre a atmosfera e os oceanos não levaram em consideração as diferenças de temperatura na superfície da água e alguns metros abaixo, afirmam Andrew Watson e seus colegas.

Quando a equipe incluiu essas informações, eles encontraram um fluxo líquido de carbono nos oceanos significativamente maior.

Os cálculos mostraram que os fluxos líquidos de CO2 de 1992 a 2018 foram até o dobro do considerado pelos modelos do IPCC em determinados horários e locais.

"Metade do dióxido de carbono que emitimos não fica na atmosfera, ele é absorvido pelos 'sumidouros' nos oceanos e na vegetação terrestre," disse o professor Watson, da Universidade de Exeter.

Absorção de carbono pelos oceanos

"Estudos anteriores que fizeram isso ignoraram pequenas diferenças de temperatura entre a superfície do oceano e a profundidade de alguns metros onde as medições são feitas.

"Nós usamos dados de satélite para corrigir essas diferenças de temperatura e, quando fizemos isso, fez uma grande diferença - obtivemos um fluxo substancialmente maior indo para o oceano.

"A diferença na absorção do oceano que calculamos equivale a cerca de 10% das emissões globais de combustíveis fósseis," disse Watson.

O "Atlas de Carbono na Superfície Oceânica" criado pela equipe foi disponibilizado no endereço http://www.socat.info.